BC libera transferências no WhatsApp

Atualizado: Abr 6

Foram autorizadas transações entre pessoas; operações com lojistas ainda estão em análise


O Banco Central (BC) concedeu ontem as primeiras autorizações ao funcionamento do sistema de pagamentos por meio do WhatsApp. Foram liberadas as transferências entre pessoas, enquanto a possibilidade de usar o aplicativo para fazer compras em lojas continua em análise.


Foram dadas três autorizações: duas de arranjos de pagamento abertos de transferência, depósito e pré pago, domésticos ligados às bandeiras Visa e Mastercard, e uma de iniciador de pagamentos para o Facebook, dono do WhatsApp.


Em comunicado, o WhatsApp informou que está “nos preparativos finais” para que o serviço esteja disponível “assim que possível”, mas não sinalizou uma data. “Mais do que nunca, pagamentos digitais seguros e convenientes oferecem uma opção vantajosa para transferir dinheiro rapidamente para pessoas que necessitam e auxiliar empresas em sua recuperação econômica”, afirmou.


As transferências entre pessoas serão gratuitas. Os pagamentos em lojas, ainda não liberados pelo BC, devem seguir a lógica do credenciamento de estabelecimentos - assim como se dá em transações de cartões.


Caberá à Cielo fazer o processamento de todas as transações iniciadas no aplicativo de mensagens. “Teremos na sociedade mais uma opção de transferências entre pessoas, muito importante nesta transformação digital e que promoverá a inclusão de uma grande quantidade de brasileiros em meios de pagamento”, disse o presidente da Cielo, Paulo Caffarelli.


O presidente da Visa no Brasil, Fernando Teles, também disse ver o WhatsApp Pay como ferramenta de inclusão. “Estamos falando de incluir quem está fora do mundo de pagamentos eletrônicos”, afirmou, acrescentando que a solução “é extremamente amigável” e está “no bolso de todo mundo”.


A Mastercard afirmou, em nota, que recebeu com “alegria” a liberação do BC e que continuará a trabalhar com o WhatsApp e outros parceiros para oferecer opções de pagamento inovadoras e seguras.


As transações usarão um “token” para ser validadas. “O número do cartão não ficará guardado em lugar nenhum. Cada vez que uma pessoa fizer uma transação, o processo vai gerar um token específico para há 4 dias Finanças aquela operação. A transferência se dá entre duas instituições participantes e o WhatsApp funcionará como diretório.


O serviço foi anunciado em junho. Na ocasião, o BC e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) pediram mais informações para entender como funcionaria. O BC determinou que o WhatsApp se enquadrasse na regulamentação, e a empresa pediu licença para ser iniciador de pagamentos, figura nova no país.


Para o regulador, “as autorizações concedidas poderão abrir novas perspectivas de redução de custos para os usuários de serviços de pagamentos”. O presidente da autoridade monetária, Roberto Campos Neto, vinha afirmando que os pagamentos por WhatsApp poderiam ser aprovados, desde que seguissem “o mesmo trilho” de outros arranjos.


Por Estevão Taiar, Talita Moreira e Sérgio Tauhata — De São Paulo

31/03/2021

Fonte: Valor Econômico