Construtoras recorrem ao aço turco importado

Cooperativa compra vergalhão da Turquia para regularizar abastecimento



Para minimizar o desabastecimento de aço na construção civil, algumas empresas estão recorrendo à importação de vergalhão da Turquia. A Coopercon-SC, uma cooperativa de compras de materiais de construção que representa construtoras da região Sul, está trazendo ao país três navios, cerca de 60 mil toneladas, neste ano.


Segundo o presidente da Coopercon, José Sylvio Ghisi, as entregas serão em maio, setembro e dezembro.“120 empresas de nove estados estão importando aço. Há construtoras que trabalham com obras publicas e têm que cumprir os prazos dos contratos. Se tiver algum atraso são multadas. As construtoras estão parando contratos, obras e deixando de lançar empreendimentos por problemas de entregas.”


O vergalhão importado é até 25% mais barato do que o produzido no Brasil, isso é referente ao preço no porto. O custo logístico depende da localização da obra o que pode diminuir um pouco essa diferença. “O aço no Brasil tem sofrido constantes reajustes. O preço da tonelada já subiu mais de 130% no acumulado de janeiro de 2020 a março de 2021. Somente neste ano, o aumento foi em média de 30%”, afirmou.


Ghisi acrescentou que, mesmo com a variação cambial, a importação ainda é viável pela previsibilidade nas entregas. O dirigente ressaltou que o setor busca facilitar a compra de aço no mercado internacional com a isenção provisória do Imposto de Importação.


“O que estamos encaminhando ao governo federal e ao Ministério da Economia é um pedido para essa isenção temporária. É uma necessidade porque não tem aço no Brasil para atender as obras”, afirmou Ghisi. A alíquota é de 12% e o mecanismo para isenção pode ser concedido por seis meses a 18 meses.



Por Ana Paula Machado — De São Paulo

Fonte: Valor Econômico - 12/03/2021