Svitzer, da Maersk, amplia frota e prepara expansão no Arco Norte

Empresa de rebocadores faz investimento de R$ 150 milhões para ampliar frota e entrar em portos do Norte e Nordeste

Fonte: site sapesp



A Svitzer, empresa do grupo Maersk, acaba de anunciar um investimento de aproximadamente R$ 150 milhões para ampliar sua frota no Brasil e expandir as operações até o Arco Norte do país, afirmou Daniel Reedtz Cohen, diretor-executivo dacompanhia no Brasil.


A empresa presta o serviço de reboque portuário, necessário para a atracação e desatracação dos navios maiores nos terminais. Os rebocadores, como são chamados os equipamentos, servem como “empurradores” das grandes embarcações, auxiliando nas manobras. Atualmente, os 14 rebocadores do grupo estão concentrados em cinco portos no Sul e Sudeste do país. Serão adquiridos quatro novos equipamentos, a serem entregues entre Outubro de 2022 e Abril de 2023.


Ainda não há definição em quais novos terminais a empresa passará a atuar, mas o plano é chegar aos portos do Norte e do Nordeste do país. Com esse foco, o estaleiro contratado para a fabricação dos rebocadores foi o Estaleiro Rio Maguari, localizado em Belém, no Pará. “Faz todo o sentido construirmos as embarcações já na região onde queremos colocá-las”,

afirmou.


O objetivo é aproveitar o crescimento nos portos do chamado Arco Norte do país, que têm ampliado significativamente sua participação, principalmente nas exportações da produção agrícola do Centro-Oeste. Cohen explica, porém, que o foco não é necessariamente navios graneleiros, e que os rebocadores funcionam para qualquer tipo de embarcação ou carga.


“Queremos crescer com nossos clientes, que incluem exportadores de granel, operadores de navios de contêineres. Há um potencial muito grande de expansão no Brasil, tanto de importação quanto de exportação, e como já temos uma boa cobertura no Sul e Sudeste, faz sentido subir e mirar nos portos mais para o Norte”, diz o executivo.


A Svitzer, que globalmente opera uma frota de 430 navios, é uma empresa relativamente nova e ainda pequena no mercado local. A companhia entrou no Brasil em 2015 por meio da aquisição da brasileira Transmar. Desde então, vem ampliando sua presença, mas ainda há ao menos três concorrentes à sua frente nas regiões Sul e Sudeste, afirma Cohen. “Temos um caminho até o primeiro ou segundo lugar, mas pretendemos chegar ao topo.”


Hoje, a companhia está presente nos portos de Santos (SP), Vitória (ES), Rio Grande (RS), São Francisco do Sul (SC) e Paranaguá (PR). O executivo também avalia que, futuramente, ainda haverá espaço para novos investimentos no Sul e Sudeste, devido ao alto potencial de expansão das exportações brasileiras.


A empresa também segue interessada em possíveis aquisições no setor, que é bastante pulverizado no Brasil. “Estamos avaliando. O importante é o crescimento, e sempre há oportunidades.”


O investimento da Svitzer ocorre em meio a um plano de expansão de sua controladora, a Maersk, no Brasil. O grupo, que é líder global no transporte marítimo de contêineres, já investiu mais de US$ 7 bilhões no Brasil desde 2010 e atualmente planeja ampliar sua atuação em toda a cadeia logística do país.


Por Taís Hirata — De São Paulo

20/05/2021

Fonte: Valor Econômico